Oferenda

Oferendas são ofertas que fazemos às divindades. São geralmente alimentos e/ou líquidos (libação), também podem ser oferendas votivas.
Junto com a oferenda vem sempre uma oração, seja oral ou mentalmente. As orações, junto às oferendas, servem para destinar o objectivo da oferenda para a divindade e para sua consciência. São feitas as oferendas como promessa, adoração, agradecimento, ou estar em harmonia com a divindade.

Pode-se também oferecer aos Deuses vestes, estatuetas, hinos, ramalhetes, dentre outras ofertas não-comestíveis. Essas oferendas se chamam votivas. Para Deuses Ctónicos costuma-se enterrar as oferendas, enquanto aos Olímpicos costumam ser deixadas ao ar livre. Não recomendo este tipo de oferenda caso for deixada na rua ou na terra, pois pode ser poluente.
As primícias são um tipo de oferenda em que se oferta a primeira parte do que colhe aos Deuses. Os primeiros cereais da estação, os primeiros frutos da colheita, etc. Geralmente é feito, com mais sentido, em áreas rurais.

Para cada divindade há certas precauções ao ofertá-las algo. Flores vermelhas são oferendas exclusivas para Afrodite. À Perséfone é desrespeitoso que faça-lhe ofertas de romãs. Apolo prefere receber oferendas durante o dia, perante o sol. Isto define a identidade do que se oferta.

Uma oferenda deve ser ofertada com consciência, afinal, nada adianta realizar uma oferenda em vão. O modo e o local das oferendas ajuda a estabelecer a(s) divindade(s) a quem se deve ofertar, e jamais pode-se esquecer de uma vocalização, uma prece.

Sacrifícios

Sacrifício de um cordeiro para o Deus Sol.
Sacrifícios também são um tipo de oferenda, onde sacrifica-se um animal aos Deuses em honra a eles. Parte da carne vai aos Deuses e parte vai aos participantes do ritual. Um exemplo era o sacrifício de um touro à Zeus, onde o sangue do animal tinha que ser esguichado no altar. Um sacrifício animal pode ser feito em rituais coletivos (no qual participam muitos fiéis), sendo que parte do animal é ofertado ao(s) Deus(es) e parte é compartilhado com os fiéis.
Sacrifício é aconselhavel quando participam-se muitos integrantes, e quando é feito todo um ritual, sobretudo num dia especial do ano para a divindade.
Bolos e outras ofertas semelhantes também podem ser "sacrificadas", dividindo com os Deuses e os fiéis.

Libação

Libação é uma prática religiosa em que se derrama água, vinho, infusão, leite, óleo e até sangue em honra a uma divindade. Era uma prática bem difundida no mundo grego. Em geral, costuma-se fazer libação derramando um devido líquido no altar, ou perante uma imagem da divindade, mas também pode-se fazer no próprio solo. As libações podem ser feitas dentro do ritual ou separadas.
Ao fazer uma libação, abdicamos de algo, agradecemos à um Deus ou à vários Deuses. libações podem ser feitas antes das refeições, derramando parte da bebida em honra à uma divindade.
Para Deuses mais celestiais, principalmente olímpicos, costuma-se derramar líquidos em chamas, para que o vapor do líquido se eleve à esses Deuses, esta prática é um pouco mais complexa, usada mais para rituais. Para Deuses ctônicos e espíritos ancestrais costuma-se derramar na própria terra, a ponto de que o liquido chegue até eles no mundo espiritual (Submundo). É algo bastante simbólico.
No livro "A Odisséia", de Homero (séc VIII a.C.), o herói Odisseu verte uma mistura de leite, mel, vinho, água e farinha de cevada para invocar as almas dos mortos durante a sua ída ao Submundo.
Pode-se verter como libação qualquer líquido, de preferência bebestível, na qual pode agradar a divindade, exceto refrigerante e líquidos semelhantes e artificiais, por ser poluente e, então, desrespeitoso.

Comunhão

Quando se pretende fazer comunhão com a divindade (unir-se espiritualmente à ela, verter em si parte dela), deve-se fazer com que você e a divindade partilhem da mesma oferenda. Acender um incenso associado á divindade, comer ou beber algo associado à ela. Por exemplo, uma infusão de alecrim como oferenda de comunhão para Minerva, deve-se "benzer" a infusão, imaginando a essência da Deusa entrando nele. Deve-se então derramar metade do líquido no altar ou lugar de culto (ou deixar em outro cálice) e beber o resto, sempre se concentrando na essência divina fluindo na infusão. A comunhão é partilhar tuas ofertas com a divindade, e a divindade partilhar sua graça contigo.
Nos cultos dionisíacos, havia o sacrifício de um bode, no qual o dilaceravam vivo, assim como fizeram com Dionísio, nos mitos. Este ritual de sacrificar o bode faz com que o animal se assemelhe ao Deus, com que a essência do Deus fixe no animal, assim como o ritual eucarístico na Igreja Católica, no qual Jesus é sacrificado simbolicamente. E no final, o sacrificado é compartilhado entre os fiéis.

Ao realizar uma oferenda, deve-se fazer no mínimo uma simples prece, agradecendo a divindade pelo seu desejo, ou desejando algo à divindade. Há de se lembrar que o princípio de tudo é mental. Cada divindade possui determinadas oferendas, por isso, na lista de divindades à esquerda, para cada divindade há algumas plantas que podem ser usadas para sua oferenda ou evocação. As plantas ditadas podem ser usadas de forma sólida normal, ou em forma líquida, para libação e comunhão, ou até em forma de incenso, principalmente quando for evocar uma divindade. Lembrem-se que nenhum Deus se ofenderá com uma oferenda errada, afinal, o que importa é que a oferenda seja feita de boa vontade e de espírito de veneração.

9 comentários:

  1. Tenho uma duvida, depois de deixar a comida ou qualquer coisa perecível um tempo no altar, o que se deve fazer com ela depois? Tem algum descarte ou local especifico do descarte? E quanto tempo deve ficar no altar?
    Não poderíamos comer a oferenda do altar, né? haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Então,pelo que eu estudei,oferendas a Deuses Olímpicos porem ser consumidas em parte. Veja,existem três processos na oferenda para os Deuses Olímpicos. Ela pode ser queimada,queimada em parte,onde você separa o melhor para os Deuses e come uma parte. Ou deixada para ser consumida por animais,caso seja ao ar livre. Para Deuses ctonicos,não se consome a comida,ela deve ser apenas descartada. Na Grécia antiga,um único Deus não recebia oferendas,Hades.

      Excluir
  2. exite um mês expecifico para cada oferenda ?

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. http://www.helenos.com.br/Home/calendario

      Excluir
  3. Muito interessante, obrigado por disponibilizar este conhecimente. Vocês não tem redes sociais ou alguma página?

    ResponderExcluir
  4. me ajudou muito , obrigado

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. PAÇO A PAÇO DE UMA LIBAÇÃO E OFERENDA PARA UM DEUS(A)
    Se possível, o participante deve ficar de pé
    -Estando todos com roupas limpas e limpos também os corpos inicia-se o ritual. Ou pelo menos lave as mãos.
    -Purificação da vela- ACENDA A VELA LEIA UM HINO A DEUSA HÉSTIA
    - Em seguida o incenso é colocado dentro de um pote com água limpa, ao comando: KHERNIPTOMAI! Venha Deusa Rainha Héstia, Deusa da Lareira. Lembre-se das oferendas que demos a você no passado e faça que esta água seja purificada pelo fogo sagrado. Tornada lustral a água, lave as mãos e borrifa-se o altar, o que será ofertado, e as pessoas, ao comando: Ó deuses, mandem embora o mal!
    Em seguida ela deve circular o altar, recolhendo as impurezas. A tigela é retirada das vistas para depois a água impura ser jogada diretamente na terra.
    -- braço direito e mão em um punho dobrado sobre o peito sobre o coração, o braço esquerdo dobrado para a frente em ângulo reto (saudação e adoração)Convite ao Deus- leitura de um hino ao Deus que será feito a libação ou oferenda
    -Ofertas – Nesse momento acendem-se os incensos,Circule a imagem com o incenso no sentido horário, apresenta-se as bebidas das libações.Quando você faz oferendas durante o ritual, sorria para os Deuses e abra-se para eles. Eles vão sorrir de volta para você.
    -Libações –braços estendidos, palmas voltadas para cima (aproximando-se dos altares e dos deuses; também em devoção privada, só um devoto)
    - levante a mão direita com o dedo indicador dobrado para tocar a ponta do polegar, ou todos os quatro dedos dobrados para tocar o polegar (encontro com os deuses, ou durante uma libação) O procedimento geral é pegar a taça de libação com a mão direita (receptiva). Em seguida, enquanto seguramos a taça com as duas mãos, fazemos uma dedicação a um Deus ou vários Deuses ou a todos os deuses, dizendo algo assim : Cada um dos participantes aproxima-se do altar e faz a libação dizendo: Assim saúdo-te,........Dedicamos esta libação ao…
    - levantou o braço esquerdo, enquanto a mão direita derramava a libação / trigo / incenso no altar
    Em seguida, transfira a tigela para a mão esquerda (ativa) e graciosamente despeje o líquido no chão, deixando um pouco na tigela. A libação foi dedicada aos deuses. Agora é propriedade deles, e parte dessa oferta permanece em sua taça. Agora bebemos e partilhamos do que lhes pertence, um tipo de comunhão.Você pode então recitar esta oração :

    Nós bebemos o sangue de Diónysos! Que o Aithír de Zefs intoxique nossas almas e nos transforme![SÓ QUANDO É VINHO]
    Finalmente, beba o líquido restante.

    -Meditação – Cada participante entra em comunhão com o deus em prece diante da imagem do Deus(a). - Braço direito levantado (mão para a altura do ombro, ou totalmente levantado) e palma completamente aberta e voltada para fora, e / ou para os Deuses (usado quando os devotos aproxime-se dos Deuses, dos altares e dos Hermai, durante a oração)
    - Agradecimento Saúdo os deuses de nossos pais. E minha devoção cá reafirmo. ….-primeiro dar atenção à deidade convidando-a para o ritual
    - CONFISSÃO
    - ADORAÇÃO
    - SÚPLICA + por favor
    - INTERCESSÃO + por favor
    - AGRADECIMENTO

    Todos confirmam com um: Estó!
    -Ao fim da cerimônia os membros cumprimentam-se e juntos desmontam o altar, os visitantes devem levar as ofertas que serão deixadas fora, e as que ficarem devem ser respeitosamente jogadas no lixo.

    ResponderExcluir