Júpiter

 
  • Raça: Deus Olímpico (Cronida)
  • Aspectos: Deus do equilíbrio; Deus do trovão; Deus celestial; Rei dos céus e da superfície.
  • Cônjuge: Juno (Hera)
  • Filiação: Cíbele e Saturno
  • Descendentes: Minerva; Baco; Mercúrio; Vulcano; Diana; Apolo; Marte; Proserpina; as Horas; as Graças; Hércules; Hebe; Ilítia; Castor e Pólux; e inúmeros mortais
  • Aliados: Têmis; Niké; Minerva; Mercúrio; Hécate.
  • Plantas relaccionadas: Sálvia; urze; oliva; carvalho; anis; cedro; jasmim; pachouli; madressilva; louro; figo, hissopo; bordo; noz moscada.
  • Atributos e símbolos: Raio; águia.
  • Signo associado: Sagitário.
  • Festival romano:  13 de Novembro.

"Àqueles que se ocupam de obras más a Justiça destina o Cronida Zeus longevidente" – Hesíodo

Júpiter (Zeus, em grego) é Deus do trovão, da justiça e da coragem. filho mais novo de Saturno (Cronos) e Cíbele (Réia). Seu pai era o líder do Universo, e engolia todos os filhos que nasciam de Cíbele, temendo que um dia eles lhe destronem. Seu pai, Saturno, já havia engolido cinco bebês (Vesta, Juno, Ceres, Neptuno e Plutão), porém, quando nasceu o sexto, Cíbele o escondeu e deu para seu consorte uma rocha enrolada num pano.
O sexto bebê é Júpiter, que foi criado pelas ninfas e amamentado pela cabra Almatéia em Creta. Quando creceu, Júpiter com a ajuda de Métis, sua primeira esposa, encontrou Saturno, e lhe entregou um elixir para que ele vomite os filhos que engolira. Os cinco filhos saíram inteiros, e fizeram um motim para destronar Saturno. Gaia, apoiando Júpiter, disse para este libertar os ciclopes e os centímanos, pois somente com a ajuda deles poderão vencer Saturno e sua legião de Titãs. Liberto os ciclopes, estes deram o raio para Júpiter, o tridente para Neptuno e o elmo de invisibilidade para Plutão, representando o domínio deles nos três mundos. Então começou a guerra que ficou conhecida como Titanomaquia, de um lado a legião de Saturno com os Titãs, do outro lado a legião de Júpiter e seus irmãos no Monte Olimpo. No fim dessa épica batalha, Júpiter vence e propõe uma nova ordem no Universo, enquanto Saturno e seus irmãos são trancados no Tártaro.

Júpiter definiu então os três reinos e ofereceu-os a seus irmãos homens. Neptuno (Poseidon) ficou com os mares, Plutão (Hades) com o Submundo, e Júpiter ficou com o céu e a superfície terrestre. Júpiter é responsável pela maior parte dos fenómenos meteorológicos, como a chuva, as tempestades e o trovão. Ele sempre foi associado a esses fenómenos, e mais tarde foi associado à ordem. Embora ousado, Júpiter também é um deus caridoso e misericordioso.

Embora seja Deus da ordem e senhor do Universo, fazendo justiça pelo mundo, Júpiter não é tanto um Deus exemplar. Ele traiu sua belíssima e divina esposa Juno, várias vezes, principalmente com simples mulheres mortais, e mesmo que ela se vingue, ele continua traindo-na. Na verdade, os gregos, para dar um toque divino aos seus heróis, inventaram que eles são filhos de Zeus. Hércules, por exemplo, foi filho de Anfitrião e Alcmena, sempre foi, mas inventaram que o herói foi filho de Zeus, devido a sua força e bravura.
Júpiter não é necessariamente o que manda no universo, mas sua atuação em organizá-lo é devido ao seu carácter de justiça, Júpiter é Deus da Justiça, e sua atuação para com os mortais é bem explicado por Hesíodo em seu livro "Os Trabalhos e os Dias". Ele representa a ordem, principalmente a ordem social, personificando as leis, e a harmonia na sociedade. É padroeiro dos líderes e administradores, dos juízes, dos advogados, e outros que trabalham com o ideal desse Deus.

Lembrais que a religião não é somente voltado à Júpiter. Há várias divindades e vários princípios. Não é necessário devotar-se somente, ou com exclusividade a Júpiter por ele ser, supostamente, senhor dos Deuses. Mas também não há de se ter aversão ao Deus. Júpiter anda sempre ao lado da Justiça, respeitando e considerando Têmis (Deusa da Justiça) sua segunda amante. Há de se lembrar, também, que, quando Ceres e Plutão queriam Proserpina, Júpiter resolveu com igualdade o destino de Proserpina, a Deusa ficaria metade do ano com a mãe Ceres, e a outra metade com o esposo Plutão no Submundo.

9 comentários:

  1. Hino órfico a Zeús traduzido do espanhol:

    XV. A ZEÚS

    Odorosa resina de incenso

    Zeús venerado, Zeús imortal, te dedicamos o presente testemunho liberador e oração: oh soberano, por tua decisão surgiram estas realidades concretas, a deusa Mãe Gaía, as ressonantes alturas dos montes, o mar e tudo quanto o céu tenha disposto dentro de seu âmbito. Zeús, filho de Krónos, que empunhas o cetro e lanças o raio, de rude ânimo, que tudo geras, princípio e fim de todas as coisas; sacudidor da terra, engrandecedor, purificador, que agitas o universo, autor do relâmpago, do trovão e do raio, progenitor Zeús. Escuta-me, multiforme, e concede-me uma saúde irrepreensível, uma paz divina e o prestígio sem tamanho da riqueza.

    ResponderExcluir
  2. XIX. A ZEUS KERAUNÓS

    Odorosa resina de incenso

    Pai Zeús, que moves um mundo de rubros resplendores e celestes rotas, e lanças o grandioso brilho do etéreo relâmpago; sacodes a sede dos bem-aventurados com os sagrados trovões, acendes o ardente relâmpago nos fluxos totalmente cobertos de nuvens; lanças, em estrondosos resplendores, tempestades, chuvas, ardentes e poderosos raios, aos que, com dardos, envolves totalmente resplandecentes, poderosos, terríveis e rudes; alado e terrível instrumento que sobressalta o coração e eriça os cabelos. Súbito, estrondoso, invencível e sagrado projétil, com giros de imenso estrépito; voraz em seu impulso, irrompível, violento, agudo e irresistível dardo celestial do furacão, atributo do ardente lançador, perante quem treme, quando está em todo seu esplendor, a terra e o mar, e temem as feras, quando o estrondo chega a seus ouvidos. Teu rosto resplandece com lampejos e o raio retumba na abóboda do firmamento; rasgas a túnica, véu celestial, e lanças o ardente raio. Mas, veja, afortuna¬do tua cólera nas águas do mar e nos cumes dos montes; todos conhecemos teu poder. Contente, no entanto, com as libações, concede a nossa mente um equilíbrio total, uma vida ditosa, uma saúde régia, igualmente, uma paz de deuses, nutridora de jovens e de ilustre honra, e uma existência que sempre se desenvolve entre razões justas.

    XX. A ZEÚS ASTRAPAÍOS

    Incenso, maná de incenso

    Te invoco, grande, sagrado, estrondoso, ilustre, aéreo, chamejante, veloz como o fogo, de resplendor celeste, que produzes o lampejo das nuvens com ruído de alvoroçadas corridas; terrível, de pesada cólera, sagrada e invencível divindade, Zeús relampejante, criador de tudo, excelso soberano, te peço que nos proporciones, benévolo, um doce final de vida.

    ResponderExcluir
  3. Os Kourétes, assim como os Korýbantes são grupos de divindades rústicas geralmente das montanhas e que protegeram Zeús na sua infância contra seu pai Ouranós:

    XXXI. HÝMNOS AOS KOURÉTES

    Dançantes Kourétes, que marchais marcialmente e bateis o solo com os pés dando voltas, guardiões florestais, que entoais cantos de júbilo, pulsadores de lýra com dissonante ritmo, segundo marchais, deixando ligeiras pegadas. Guardiões, de armas fornecidos e chefes de brilhante fama, acompanhantes da mãe que se apaixona pelo monte; iniciadores dos ritos orgiásticos. Venham, vos rogo, benévolos a minhas palavras propiciatórias, e afáveis ao boieiro de coração sempre alegre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. XXXVIII. AOS KOURÉTES

      Incenso odoroso

      Kourétes que trovejais, com armaduras de guerra, celestiais, terrenos, marinhos, afortunados, fecundos sopros, ilustres salvadores do mundo, que habitais Samothrákê, sagrada terra, e afastais os perigos dos mortais que andam errantes pelo Póntos. Vós sois os primeiros que instituisteis para os mortais o ritual sacro, imortais Kourétes, que portais belicosa armadura e moveis Ôkeanós, o mar e as árvores, além; e ao marchar, fazeis ressoar a terra com vossos ágeis pés, resplandecendo com vossas armas. Todas as feras se assustam, quando vos pões em movimento; o alvoroço e a gritaria chega ao céu e, pelas evoluções de vossos pés, o pó alcança as nuvens, quando marchais. E então brotam, por suposto, todas as flores. Imortais Daímones, nutrizes e destruidores, por sua vez, quando vos lançais irritados contra os mortais, destruindo vidas, recursos e também aos mesmos que recebem o dano, saciando-os com isso. E geme o grandioso mar de profundos redemoinhos, as árvores de altas copas caem ao solo da raiz e um eco celeste ressoa pelo chacoalhar de suas folhas. Kourétes-Korýbantes, senhores e robustos reis de Samothrákê, e igualmente, com propriedade, Dióskouroi, perenes brisas, vivificadores, aeroformes; que também sois celebrados no Ólympos como celestes gêmeos, portadores de agradáveis brisas, serenos e amáveis salvadores. Soberanos propicia¬dores das estações e dos frutos, encoraja-nos, por favor.

      XXXIX. A KORÝBANTOS

      Incenso odoroso

      Invoco ao mais grande soberano da eterna terra, ao afortunado Kýrbantês, belicoso terrível, ao Kourétês noturno, dissipador dos temores difíceis. Propiciador das fantasias, Korýbantês que vaga solitário, soberano de mutáveis formas, divindade de natureza dual, multiforme; ensangüentado, manchado pelo sangue dos dois irmãos, que mudastes teu casto corpo por decisão de Deó, adotando a figura selvagem de uma terrível serpente negra. Escuta nossas vozes, afortunado, e afasta a dura cólera, pondo fim as visões fantásticas, e nos afasta das necessidades da alma.

      Excluir
  4. Os quatro grandes filhos do Gigás Pallás e Stýx fazem parte do principal séquito sagrado de Zeús, Níkê (vitória), Zélos (disputa), Krátos (poder), Bía (força), são seus guardiões, mensageiros e guerreiros alados:


    XXXIII. A NÍKÊ

    Incenso, grãos de incenso

    Invoco a poderosíssima Níkê, desejada pelos mortais, que elimina, sozinha, seu belicoso ímpeto e a dolorosa disputa nos combates que são travadas entre os competidores, dando sua decisão nas batalhas, para outorgar o resultado vitorioso, a quem, inclinando-te a seu favor, podes desse modo satisfazer seu mais doce desejo, porque tudo dominas, e a nobre glória, transbordante de festiva alegria, de toda contenda em ti se fundamenta, ilustre Níkê. Mas, veja, afortunada e desejada, vem, por favor, com semblante radiante, fornecendo sempre as gloriosas empresas um nobre fim.

    ResponderExcluir
  5. Nos mitos órficos e romanos, Zeús poderia ser chamado de Sabazíos:

    XLVIII. A SABAZÍOS

    Incenso odoroso

    Escuta-me, pai, filho de Krónos, Sabazíos, famosa divindade, que encerrastes, costurando-o a coxa, ao delirante Diónysos, cabritinho que provoca um grande estrondo, pa¬ra que chegasse cumprido ao sagrado Tmólos, junto a Hípta de formosas bochechas. Mas, veja, afortunado, monarca de Phrygía, o mais soberano de todos, apresenta-te, por favor, com benévolo talante, como auxiliador de teus iniciados.

    ResponderExcluir
  6. Hino órfico a Nómos, um Daímôn das leis cívicas criadas pelos homens do Estado, também pode ser usado como um epíteto de Zeús:

    LXIV. HÝMNOS A NÓMOS

    Invoco ao casto soberano dos imortais e mortais, ao celestial Nómos, ordenador dos astros, sinal distintivo entre as águas marinhas e a terra, preservador sempre da solidez firme e tranqüila da natureza pelas leis, que ele próprio, desde acima, traz em sua rota pelo amplo céu e afasta para longe, com um rugido, a inveja doentia. É também quem suscita entre os mortais um nobre fim pela existência, porque ele sozinho maneja o rumo dos seres vivos, companheiro, sempre sem perversões, dos mais retos pensamentos; arcaico e muito experto, convive sem causar moléstias com todos os que aceitam a lei e impõe uma pesada desgraça aos que se afastam dela. Mas, veja, afortunado, por todos honrado, portador de felicidade, agradável a todos, envia-nos tua lembrança com coração propicio, excelso.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns por tudo que publicou.

    ResponderExcluir
  8. ZEUS SEJA ETERNAMENTE LOUVADO, GRANDE, SOBERANO, TODO PODEROSO E MARAVILHOSO POR TODAS SUAS MARAVILHOSAS OBRAS,.....EU TE AMO DEMAIS ZEUS,OBRIGADO POR TER ILUMINADO E MELHORADO MINHA VIDA!!!!!!!! EU TE AMO ETERNAMENTEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE ..........SOBERANOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO MEU AMOR É INFINITO!!!!!!!!!!!!! SEMPRE TE AMAREI E LOUVAREI MEU REI MAGNÍFICO ZEUS

    ResponderExcluir