A Origem do Universo

Há muitas teorias, de diversos filósofos gregos sobre a origem de tudo. A mais conhecida e seguida teoria da criação do Universo e dos Deuses helénicos que temos foi escrito pelo antigo poeta grego Hesíodo (séc. VIII a.C.). Hesíodo escreveu dois livros, Os Trabalhos e os Dias, e  Teogonia, que diz sobre a origem dos Deuses. Suas obras poéticas foram inspiradas pelas Musas.
Segundo Hesíodo, os primeiros Deuses foram Gaia (a Terra), Tártaro (os confins do Submundo), Eros (o Amor), Érebo (a Escuridão), Ponto (Deus das Águas), Urano (o Céu), Nyx (a Noite), Éter (o Ar) e Hémera (o Dia).
Vivemos no "mundo físico", um mundo dualista criado por Gaia (Terra, matéria) e Urano (Céu, espírito). Em tudo podemos encontrar vestígios bipolares, como a água e o fogo, a mulher e o homem, a vida e a morte, etc. Este é nosso mundo dualista, e precisamos dos dois polos dessa dualidade, em harmonia.
Ao mesmo tempo, abrangendo todos os universos, há a trindade, (que não difere muito da dualidade), completa pelo mundo de Gaia e Urano (mundo da vontade/emanador), por Nix (mundo espiritual) e por Pontos (mundo psíquico). Podemos perceber esta presença em nós mesmos, em nosso ser.
Segundo Platão (séc V-IV a.C.) há três fontes de poder no corpo humano: A vontade, no ventre, o sentimento, no coração, e o raciocínio, na cabeça. Respectivamente, o chakra sacro, o chakra cardíaco, e o chakra frontal, que são os principais chakras.


    Gaia: Em latim Tellus, gerou Pontos e Urano por partenogénese. Com Urano gerou os ciclopes, os hecatônquiros e os Titãs Oceano (o Oceano), Febe (antiga Deusa Lunar), Ceós (a Inteligência), Mnemosine (a Memória), Crio (o Inverno), Réia (a terra fértil), Hipérion (antigo Deus Solar), Têmis (a Justiça), Jápeto (ancestral dos mortais), Tétis (o Mar), Cronos (o Tempo) e Téia (a Luz). Com Tártaro, Gaia gerou dois monstros das trevas, Equidna e Tífon. Gaia ainda teve filhos com Pontos e com alguns de seus descendentes.
  • Oceano e Tétis: Geraram as ninfas Oceanides, os rios e os mananciais.
  • Hipérion e Téia: Geraram Hélio (o Sol), Selene (a Lua) e Eos (a Aurora).
  • Ceós e Febe: Geraram Leto (mãe de Ártemis) e Astéria (mãe de Hécate). Enquanto Ártemis representa a Lua Crescente, sua prima Hécate representa a Lua Nova.
  • Jápeto e a ninfa Clímene: Geraram Epimeteu, Prometeu, Atlas e Menecéio.
  • Cronos e Réia: Vesta (Deusa do Lar), Hera (Deusa do Matrimónio), Hades (Deus do Submundo), Deméter (Deusa da Agricultura), Poseidon (Deus dos Mares), Zeus (Rei dos Deuses, Deus do Céu).

   Nix: Com Érebo ou por partenogénese gerou Tânato (a Morte), Hipnos (o Sono), Éris (a Discórdia), Hémera (o Dia), Hespérides (a Tarde), dentre vários demónios que representam virtudes e antivirtudes humanas. A linhagem de Nix é o espírito, a razão

   Pontos: Com Pontos, Gaia gerou monstros e criaturas do mar. Gerou também Nereu, Euríbia, Taumante e o monstruoso Fórcis que com o monstro marinho Ceto gerou vários monstros, como as górgonas. A linhagem do mar também há inúmeras divindades relacionadas ao mar e inúmeras ninfas marinhas. A linhagem de pontos é a alma, o sentimento (oposto à razão).


Reinado de Urano: Segundo os mitos, todos os filhos que Urano tinha de Gaia, ele os prendia no Tártaro (profundezas da Terra). Gaia, que já não aguentava a dor de ver tantos filhos presos em seu útero, insinuou seus filhos Titãs a se revoltarem contra o pai, e esses foram, liderados pelo mais jovem, Cronos (Saturno). Cronos, com uma foice que sua mãe lhe deu, cortou os testículos de Urano enquanto este estava copulando com Gaia. Das espumas dos testículos de Urano que cairam no mar surgiu Afrodite (Vênus).


Zeus lutando contra Cronos na Titanomaquia
Reinado de Cronos: Cronos então se torna o novo líder do Universo, junto com os seus irmãos Titãs, porém os outros irmãos, ciclopes, hecatónquiros e outros monstros, continuaram presos no Tártaro. Gaia então tem uma profecia na qual Cronos irá ser derrubado pelo próprio filho. Sabendo disso, Cronos engolia todo filho seu que nascer de sua esposa, Réia. Cinco crianças foram engolidas, e quando nasceu o sexto, este foi escondido, criado pelas ninfas e nutrido pelo leite da cabra Almatéia. Réia então entrega à Cronos uma pedra enrolada num manto, tal idéia era de Gaia. A criança criada pelas ninfas foi Zeus (Júpiter).
Já crescido, Zeus se vingou do pai, entregando-lhe uma poção mágica preparada pela Deusa Métis. A poção fez Cronos vomitar os outros filhos, Héstia (Vesta), Hera (Juno), Hades (Plutão), Deméter (Ceres) e Poseidon (Neptuno).

Titanomaquia: Titanomaquia foi a guerra entre Titãs (liderados por Cronos) e Deuses Olímpicos (liderados por Zeus). Zeus, apoiado pelos irmãos libertos, inicia a Titanomaquia. Nessa luta quase interminável, os Deuses posicionaram-se no monte Olimpo e os Titãs, convocados por Cronos, no monte Ótris. A pedido de Gaia, Zeus liberta os ciclopes e hecatônquiros, e, muito gratos, dão aos Deuses três armas (três poderes dominantes universais), o raio para Zeus, o tridente para Poseidon, e o elmo de invisibilidade para Hades. Durante a guerra, parecia que o Céu e a Terra se confundiam. Com os poderes do trovão e o apoio dos ciclopes e hecatônquiros, os Deuses Olímpicos venceram a batalha e baniram os Titãs no Tártaro para sempre. Alguns Titãs não participaram da guerra.
Logo depois, Zeus dividiu o domínio do mundo entre  seus irmãos homens (que machismo!). Os oceanos e mares para Poseidon (mundo psíquico), as profundezas da Terra para Hades (mundo espiritual), e o Céu e a superfície terrestre para Zeus (mundo físico onde tudo flui). Os domínios de Zeus vão desde a superfície (mundo físico químico) até os altos céus (mundo físico etéreo).


Deuses Olímpicos

Seriam doze (12) Deuses Olímpicos a serem cultuados, porém, actualmente cultua-se catorze como Olímpicos. Doze é o número dos ciclos celestes e da plenitude:

  • Zeus (Júpiter): Deus do Céu e da Ordem
  • Poseidon (Neptuno): Deus dos mares
  • Hades (Plutão): Deus do Submundo
  • Demeter (Ceres): Deusa da agricultura
  • Hera (Juno): Deusa do matrimónio
  • Héstia (Vesta): Deusa do lar e das tradições
  • Afrodite (Vênus): Deusa da beleza e pacificidade
  • Ares (Marte): Deus da disciplina e da guerra
  • Hermes (Mercúrio): Deus do comércio e profissionalização
  • Dioniso (Baco): Deus do vinho e da alegria
  • Ártemis (Diana): Deusa da caça e da vida silvestre
  • Apolo (Febo): Deus das belas artes
  • Atena (Minerva): Deusa da razão e astúcia
  • Hefeisto (Vulcano): Deus da forja e da criatividade

Segundo outras versões de cosmogênese, o Universo foi formado por Vênus (Afrodite) e Marte (Ares). São dois Deuses opostos. Vênus é o amor, a pacificidade; e Marte é a guerra, a agitação. Essa teoria também tem relacção com o mito no qual Vênus desposou de Marte, afinal eles se amavam. Astronomicamente pensando, o planeta Vênus fica de um lado da Terra, e Marte fica simetricamente do outro lado. Esta teoria também refere-se ao dualismo.
Uma outra versão dualista diz que o mundo surgiu de Urano e Gaia (o Céu e a Terra), dito então que somos todos filhos do Céu e da Terra, conforme a tradição pública. Analizando bem, todas as teorias possuem suas verdades, nas quais se assemelham.

Nenhum comentário:

Postar um comentário