Prece

A prece é uma forma de comunicar-se com as divindades. Nós, mortais, realizamos libações, rituais, oferendas, sacrifícios, ódes, tudo na esperança de receber algo dos Deuses, e é nas preces que expomos o que precisamos, o que queremos, o que sentimos. A prece é o cerne de todo rito.
Como tal, na prece devemos oferecer algo aos Deuses para que eles nos dêem algo (apesar dos Deuses não precisarem de nada, é sempre de boa consideração oferecer algo como forma de "obrigado"). Por isso se diz que a prece no dodecateísmo não é uma acção religiosa autónoma e depende de alguma oferta. Porém não vejo desse modo, podemos fazer preces tanto com oferendas quanto sem oferendas.

As preces normalmente são solitárias e não em grupo. Nas preces pode-se pedir de tudo. Preces também podem ser ditas apenas para a adoração de uma divindade, esse tipo de prece é chamado de hinos. Alguns creem que as preces têm mais poder se forem ditas em rimas, com mais louvores e chamamentos da divindade. É sempre bom inventar a própria prece, para reflectirmos sobre a oração para que possa ser ouvida e atendida pelos Deuses. Lembrando-se que os Deuses estão tanto exteriormente quanto dentro de nós mesmos.

Para preparar uma boa prece, comece-a com um vocativo enaltecente da divindade, por exemplo, "Óh silvestre Fauno", "Óh noturna Selene". Diga também características da divindade, algo que ela já fez segundo os mitos. Diga o que deseja, pode propor-lhe oferendas, ou faça uma oferenda durante a prece. Os melhores lugares para realizar uma prece é perante um altar, na natureza ou num espaço sagrado.
Lembrando-se, também, que a vocalização deve sempre acompanhar nossa mente, nosso sentimento e nossa vontade, para transmitirmos uma prece perfeita e poderosa.


"Deve-se orar para que a mente seja sadia num corpo sadio. Peça uma alma corajosa que não tema a morte, que ponha a longevidade em último lugar entre as bênçãos da natureza, que suporte qualquer tipo de trabalhos [...]. Certamente, o único caminho de uma vida tranquila passa pela virtude." (latim: "Orandum est ut sit mens sana in corpore sano. Fortem posce animum mortis terrore carentem, qui spatium vitæ extremum inter munera ponat naturæ, qui ferre queat quoscumque labores, ... Semita certe tranquillæ per virtutem patet unica vitæ".)
Juvenal (poeta romano do século I d.C.)


Nenhum comentário:

Postar um comentário